• Perguntas Frequentes
busca
/

Acesso Restrito

Selecione o portal a que deseja ter acesso:

Qualificação no Prominp

Plano Nacional de Qualificação Profissional

O conceito de educação profissional no Brasil é regido pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9394, de 20/12/1996). A qualificação profissional é considerada um complemento da educação básica, propiciando a aquisição de conhecimentos para acesso ao mercado de trabalho, tanto para profissionais sem experiência, quanto para as pessoas que desejam ampliar sua formação.

A qualificação de pessoal para a indústria de petróleo e gás natural sempre foi um dos focos do Prominp. Desde o seu lançamento, em 2003, ficou claro que, para desenvolver uma cadeia de fornecedores de bens e serviços capaz de competir internacionalmente, seria necessário um grande esforço para capacitar uma gama de trabalhadores de diversas categorias profissionais, algumas delas exclusivas do setor de petróleo e gás natural. Dessa forma, foi estruturado, em 2006, por meio do projeto IND P&G-26, o Plano Nacional de Qualificação Profissional (PNQP), com o objetivo de qualificar profissionais para atuação nos diferentes elos da cadeia de suprimento do setor.

De 2006 a 2015 foram qualificados cerca de 99 mil profissionais, com investimentos realizados de aproximadamente R$ 304 milhões.

O PNQP qualifica, por meio de cursos gratuitos, profissionais nos estados onde há investimento na área de petróleo e gás. A quantidade e os tipos de cursos oferecidos dependem da localização dos empreendimentos e do diagnostico de profissionais necessários para implantação dos mesmos, de acordo com o cronograma das etapas de construção e montagem. 

Além da gratuidade dos cursos, o plano prevê o pagamento de bolsas-auxílio mensais para os alunos que estiverem desempregados, que variam conforme o nível de escolaridade.   Os cursos são de nível básico, médio, técnico e superior, distribuídos em 185 categorias profissionais ligadas às atividades do setor, e são executados pelas principais instituições de ensino do país. O PNQP também possui cursos voltados para o desenvolvimento da média liderança, como os supervisores e encarregados, e preparatórios para certificação de profissionais, como é o caso dos inspetores.

A Petrobras investe no PNQP condicionada à autorização da ANP, uma vez que esses investimentos são abatidos das obrigações da companhia no que diz respeito a Cláusula de Investimento em Pesquisa e Desenvolvimento, constante dos Contratos de Concessão para Exploração, Desenvolvimento e Produção de Petróleo e Gás Natural.

A participação da indústria de petróleo e gás no processo de qualificação profissional é fundamental para os resultados esperados do plano, e o Prominp tem realizado ações de aproximação com as empresas do setor, trabalhando em conjunto desde o levantamento da necessidade de qualificação profissional, passando pela revisão de conteúdo programático, até a seleção dos candidatos às vagas nos cursos e absorção dos profissionais qualificados. O resultado dessa aproximação foi a revisão da sistemática do PNQP, com as empresas participando efetivamente de todo o processo de qualificação.

Rotas de Qualificação Profissional do Prominp

O PNQP possui duas rotas de qualificação: Aluno-Público, que qualifica profissionais selecionados por meio de processo seletivo público; e o Aluno-Empresa, que qualifica profissionais em parceria com as empresas, que ficam responsáveis por selecionar os alunos para os cursos, sejam estes seus próprios funcionários (Aluno-Empresa Contratado) ou recrutados no mercado (Aluno-Empresa Recrutado). Nesta última rota a empresa divide o custo do curso com o Prominp.

Ao longo do período de 2006 a 2013, foram qualificadas milhares de pessoas através do PNQP, o que demonstra o sucesso da iniciativa em âmbito nacional, ao fornecer oportunidades de qualificação para profissionais de todos os níveis de escolaridade, além da sistematização de um portfólio de cursos para funções típicas desta indústria, estruturados por entidades de referência em determinada área de conhecimento.

Apoio à construção de simuladores para treinamento técnico

A necessidade de qualificação profissional mapeada pelo Prominp também impulsionou o desenvolvimento de simuladores até então inéditos no Brasil. A iniciativa permitiu que treinamentos que antes eram feitos no exterior, passassem a ser realizados também no país. Assim, a partir de convênios firmados entre a Petrobras e o Senai, no âmbito do Prominp, foram criados o Simulador de Controle de Lastro, o Centro de Treinamento em Ambientes de Atmosfera Explosiva (Centro-EX) e o Simulador de Processos e Facilidades de Petróleo (AmbTrei), na cidade do Rio de Janeiro.

Também merece destaque o Simulador de Guindastes Offshore, desenvolvido com tecnologia totalmente nacional e instalado em Macaé (RJ).  Esse equipamento é utilizado para treinamento nos cursos de movimentação de carga.

Para aperfeiçoar o treinamento de profissionais que atuam em sondas de perfuração – plataformista, torrista e sondador – foram desenvolvidas sondas-escola, que são estruturas montadas com os equipamentos de uma sonda e simulam as principais atividades desses profissionais.  Já são três unidades instaladas no país: no Instituto Federal de Mossoró – RN, no Senai de Salvador –BA, e no Senai de Macaé-RJ.

Programa de Desenvolvimento de Fornecedores da Engenharia (PDFE)

O programa foi idealizado em 2011, pela Petrobras, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da gestão em Saúde, Meio Ambiente e Segurança (SMS) das empresas constantes do Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da área de Engenharia da Petrobras, que teriam condições de atender a serviços essenciais para a companhia.

Foram convidadas a participar do programa as empresas pertencentes ao Cadastro Corporativo da companhia (Petronect), avaliadas com boas notas técnicas, porém com notas no quesito SMS abaixo dos padrões exigidos pela Petrobras.

A escolha dos estados onde os cursos são executados é determinada pela maior incidência local de empresas que atendem a esse critério de avaliação. A coordenação dos cursos fica a cargo do Prominp e tem o Serviço Social da Indústria (Sesi) como instituição de ensino responsável pela execução das aulas.

Além de disponibilizar seus consultores para a realização das oficinas, a instituição de ensino também oferece tutorias presenciais, com o objetivo de auxiliar as empresas na adequação às normas ISSO 14001 e OHSAS 18.001, referências dos critérios exigidos pela Petrobras.

Para participar dessa capacitação oferecida pelo Prominp, as empresas devem arcar com 50% dos custos relativos ao curso, e garantir a adequação da empresa às referidas normas.

Veja alguns dos nossos resultados:

  • Mais de 80% das empresas conseguiram entrar na faixa de exigência de SMS pela Petrobras, possibilitando novos convites para processos licitatórios da companhia;
  • Mais de 95% das empresas declararam-se satisfeitas com o programa;
  • Mais de 70% das empresas participantes tornaram-se mais evidentes no Cadastro Corporativo da Companhia.

Pelo lado da Petrobras houve uma melhora qualitativa no seu cadastro de fornecedores, e um crescimento do número de empresas adequadas aos seus padrões de contratação.

O PDFE é um programa de aprimoramento de gestão, com consultoria a baixo custo, e que , até o momento, beneficiou 41 empresas do segmento de engenharia e 74 profissionais especialistas em SMS, além de 21.800 funcionários das áreas operacional e administrativa, e diretores de empresas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Documentos Relacionados:

► Processo Seletivo 6º CICLO - Edital 001/2012

► Processo Seletivo 5º CICLO - Edital 001/2010

► Processo Seletivo 4º CICLO - Edital 002/2008

► Processo Seletivo 3º CICLO - Edital 001/2008

► Processo Seletivo 2º CICLO - Edital 002/2007

► Processo Seletivo 1º CICLO - Edital 002/2006

 

 

Logo PetrobrasLogo Ministério do DesenvolvimentoLogo Ministério de Minas e EnergiaLogo Governo Federal

Política de Privacidade - Copyright 2013 © - Todos os direitos reservados